Trocando a letra

cantando

"(...) tocando de biquini sem parar (...)"

Gente, vamos nos divertir e rir de nós mesmos. Quem nunca assassinou a letra de uma música? Cantando em alto e bom tom e ju-ran-do que está abafando? Momento Vanuza de ser. Segue a lista, a minha, no caso.

Uma delas é “A maçã”, do Raul Seixas. Parte da música, que ouvi quando eu tinha lá os meus sete anos, diz:

“Se esse amor
Ficar entre nós dois
Vai ser tão pobre amor
Vai se gastar…”

Eu cantava assim: “(…) vai ser tão bom, garçom, vai se gastar (…)”

Observem a complexidade da mudança no verso destacado. Não me perguntem de onde eu tirei o garçom, a associação dele com o casal que discute a fidelidade e o fato de a relação se gastar ser positiva. Têm coisas na vida que não merecem respostas. Próxima, por favor.

A clássica “Noite do prazer”, de Claudio Zoli. Tenho certeza que não fui a única a errar:

“Na madrugada a vitrola, rolando um blues tocando BBKing sem parar” Se transformou em: “tocando de biquini sem parar”. Eu gosto de ver que a gente nem se dá conta do nexo, ou da falta dele, da música e seguimos cantando, felizes da vida.
**
Agora vamos para versão internacional da história. Uma dica para quem não sabe cantar músicas em inglês, e sente vergonha deste ato inglório, é mascar chicletes. Sim, você masca de boca aberta e acompanha o ritmo da música. Daí, as pessoas que lhe rodeiam não sabem se você está mascando o chiclete, cantando ou bocejando. Fica no meio termo, entende? E não faz feio. Mas para evitar constrangimentos, aprenda inglês. É o que estou fazendo.

Colabore, não permita que eu seja a única a pagar este mico e envie alguma versão interessante de música que você, sem querer, alterou.

Anúncios

9 comentários sobre “Trocando a letra

  1. Natália disse:

    entre tapas e beijos é ódio é desejo é sonho é loucura
    e assim vou vivendo sofrendo e querendo
    esse amor NO ENTIL

    seja lá o que minha cabeça, aos quatro anos (quando eu cantava a música saltitando no caminho entre minha casa e a padaria) pensava que seria NO ENETIL.

    Talvez pela substituição não ser por uma palavra verdadeira, meu exemplo não valha… mas, na certa, eu sou rainha disso.

    • enquantoescrevo disse:

      Hhahaha! Talvez uma criança de quatro anos não entenda muito bem o significado de “amor doentio”. Ainda bem, por isso saltitávamos por aí, nas padarias da vida, esperando o troco de bala 7 Belo…bju!

  2. Fabiana disse:

    Sabe aquela musica

    “uma mão vai na cabeça… uma mão vai na cabeça,
    o movimento é sexy… o movimento é sexy”

    Eu cantava:

    “o mamão vai na cabeça… o mamão vai na cabeça”

    hehehehe

    e o pior… achei essa comunidade no orkut!! eu não sou a unica!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s